Amigos de Mauá

M I N U T A

Súmula n# 024


www.amigosdemaua.net - 25 de janeiro de 2013
Envie seu comentário sobre qualquer tema abaixo para amigosdemaua.net@gmail.com , que será publicado


Turismo Sustentável
 Carlos Minc, secrétário de Ambiente do estado do Rio, esclarece dúvida sobre controle do acesso  
Na Súmula 023 foi publicada e comentada uma notícia de O Globo e Diário do Vale que não esclarecia devidamente a questão do pagamento de pedágio. O ponto obscuro dizia respeito à isenção de pagamento de pedágio para todos os moradores dos municípios de Resende e Itatiaia, e qual seria o impacto dessa liberalidade na "capacidade de suporte" da região para receber tantos turistas. Minc esclareceu que além do pedágio, haverá o controle do número de visitantes, um limite máximo ao qual os visitantes dos dois municípios também estarão sujeitos. Tomara que o governo saiba o que faz, e tenha força para fazê-lo, pois ainda há muitos pontos frágeis nesse plano.
Pavimentação das rodovias RJ-163 e RJ-151
Estação chuvosa de 2013 começa com deslizamentos perigosos na RJ-163
Como previsto, diante dos cortes abruptos realizados para alargar tanto a "estrada-parque", as encostas continuam a desbarrancar, expondo volumes cada vez maiores de terra, pedras e árvores prestes a despencarem sobre a pista e seus usuários. Será que mais alguém, além de "amigosdemaua.net", está monitorando esses desbarrancamentos, de modo a acompanhar a evolução da erosão das encostas e permitir o planejamento de alguma ação para impedir a progressão desses acidentes, que podem alcançar grandes dimensões, como no grande despencamento de 30/10/2010 ?.  
Grande desbarrancamento na RJ-151 denuncia engenharia equivocada e temerária
Qual a necessidade de se alargar tanto a RJ-151 no trecho entre a vila de Visconde de Mauá e a Ponte dos Cachorros? Será que o DER-RJ planeja tornar esta estrada uma via expressa com um volume, peso e velocidade de tráfego muito maiores do que estávamos acostumados? O DER-RJ planeja mesmo transformar essa estrada vicinal em um eixo alternativo de acesso à região e de ligação da Via Dutra com o sul de Minas Gerais? Então vai precisar pôr um pórtico... É claro que o alargamento exagerado e os cortes abruptos feitos pelo DER em encostas mais ou menos consolidadas propiciaram esses desbarrancamentos (já documentados na Súmula 017, de 03/01/2012), cada vez vindos de mais alto e envolvendo pedras cada vez maiores. Para prevenir maiores desastres, o DER terá que fazer obras de contenção que irão desfigurar ainda mais nosso cenário.
Mauatur, ACVM, Assomar e AmaMauá insistem: "asfalto sim; bloquete não!" entre Mauá e Maringá
Sem temer desfigurar de vez a região e expulsar o espírito da Natureza para cada vez mais longe daqui, os líderes das associações locais (que promovem os interesses dos empresários mais insensíveis e o desinteresse da maioria dos moradores) enviaram um "manifesto" às autoridades estaduais exigindo o uso indiscriminado do asfalto na RJ-151 - mesmo entre as vilas de Visconde de Mauá e Maringá, onde moradores mais experientes e informados recomendam o uso de bloquetes . A iniciativa dos empresários locais foi uma reação à simpatia manifestada pelos gestores ambientais fluminenses à proposta encaminhada ao governo fluminense na forma de um abaixo-assinado com mais de mil adesões.
Pesquisa revela que a maioria dos comerciantes de Maringá e Maromba prefere bloquetes
O editor da publicação "O melhor de Visconde de Mauá" realizou um levantamento junto a 170 comerciantes da região acima da vila de Visconde de Mauá sobre suas preferências para a pavimentação da RJ-151 no trecho de maior interesse paisagístico e turístico. A opção pelos bloquetes ganhou longe, como era de se esperar. Fica agravada a dúvida que temos sobre os reais motivos que levam as quatro associações locais, mencionadas na nota acima, a agirem contra os interesses de seus representados.
Abaixo-assinado de 2006 é divulgado deslocado do contexto original
Há pouco a Mauatur e suas associações-satélites encaminharam ao governo estadual um "manifesto" onde se referem a abaixo-assinado com mais de 5 mil assinaturas solicitando o asfaltamento da RJ-151 - mas não informa sua data, pois essa iniciativa foi realizada a muitos anos atrás, num contexto muito diferente: a governadora era Rosinha Garotinho... Esse abaixo-assinado solicitava que se asfaltasse primeiramente a RJ-151, para facilitar o trânsito de moradores e turistas. Ou seja, no caso de só ser possível pavimentar uma das vias, a preferência urgente e imediata da população era pela RJ-151. Quando o governador Sergio Cabral e o vice Pezão, recém empossados, receberam o abaixo-assinado, responderam que ambas as vias (151 e 163) seriam imediatamente pavimentadas. Algumas pessoas e associações ainda sugeriram que a RJ-151 fosse pavimentada antes que a 163, mas o governo alegou que isso era tecnicamente inviável. Quanto ao uso de asfalto na RJ-151, o termo "asfaltamento" foi usado de modo genérico, pois todos esperavam que o assunto seria melhor detalhado quando da elaboração do projeto, com alguns moradores e visitantes recomendando bloquetes quando a estrada cruzasse as vilas, outros sugerindo seu uso no trecho de Mauá para cima, etc. Porém até hoje ninguém do governo conduziu, junto à comunidade, uma discussão mais técnica e abrangente desse aspecto do projeto tão importante para o futuro da comunidade. 
Depois do "asfalto ecológico" na RJ-163, o DER agora promete "asfalto emborrachado" na RJ-151 
O asfalto ecológico tem a qualidade que já conhecemos por seus buracos, mal completado um ano desde sua inauguração. Agora o "asfalto emborrachado" é que vai resolver todos os nossos problemas... O problema que o DER-RJ resiste a compreender é que - entre as vilas de Mauá e Maringá - a solução dos bloquetes, já adotada na estrada-parque Cunha-Paraty (SP-RJ) e na São Miguel-Registro, na Serra da Macaca (SP) - valoriza a região ao criar um visual diferenciados, mais bucólico e turístico, integrando as várias vilas em mesmo "clima". facilita a conservação da via, e reduz naturalmente a velocidade dos veículos. Se lá pode, por que aqui não pode? E vai haver asfalto emborrachado para tapar os buracos que possivelmente vão se proliferar como na RJ-163?
Projetos
Gestor do Parque Estadual da Pedra Selada esclarece algumas dúvidas e dissipa temores

Apesar das inegáveis vantagens que a criação de um Parque Estadual na região trará para a imensa maioria dos moradores e dos empresários do segmento turístico, as primeiras notícias ligadas ao novo Parque Estadual da Pedra Selada - PEPS foram recebidas com desconfiança e apreensão por muitos de nós. Para reduzir a desinfornação que aumentava desnecessariamente a resistência por parte de alguns moradores, Rodrigo Rodrigues, gestor indicado pelo INEA-RJ para implantar essa nova unidade de conservação estadual, iniciou a divulgação de um informativo reunindo perguntas frequentes e respostas objetivas. Clique aqui para acessar a versão em formato PDF do documento.

"Produto 1" do protocolo do saneamento nas vilas fluminenses da região está "quase pronto"

Quase um ano depois de ter sido proposto (ver aqui a sugestão divulgada em abril de 2012), está sendo finalizado o "Produto 1", que divulgará informações fundamentais sobre o funcionamento das três estações de tratamento de esgotos instaladas na região e suas respectivas redes, bem como os cuidados que a população deve ter para zelar pelo seu bom funcionamento, A demora deveu-se à necessidade de coletar informações atualizadas e fidedignas sobre a instalação das redes e seus acessórios, num proceso que só agora está se completando. Esperamos que os três outros "Produtos" previstos - o "2", sobre o monitoramento da qualidade das águas do Rio Preto (ver minuta); o "3", sobre as condições do abastecimento d'água das vilas fluminenses; e o "4", sobre a gestão ecológica do lixo possam ser produzidos mais rapidamente, pois "o tempo é o fator crítico".

Placas da Construtora Terracota foram retiradas da obra do complexo cultural
Menos de um mês após o falecimento de seu proprietário, as duas placas da Construtora Terracota foram retiradas do tapume que mal escondem o monstrengo edificado na vila de Visconde de Mauá , não por culpa do engenheiro, mas de seus contratantes e das lideranças das associações locais que perderam qualquer "moral" para cobrar mais responsabilidade das autoridades estaduais, pois se articularam com elas de modo irreparável e nada republicano, já faz uns cinco anos.
Coral do Visconde faz sucesso em evento artístico internacional em Mendoza, Argentina
Conforme noticiado na Súmula 023, apresentamos um vídeo do Coral do Visconde cantando "Berimbau", de Baden e Vinicius, gravado no Festival "Canta Pueblo", em Mendoza, Argentina, em novembro de 2012.  
Microcentral de compostagem comunitária é transferida por solicitação dos proprietários da área
Para atender à solicitação dos proprietários da área onde há cinco anos funciona a microcentral de compostagem comunitária em Visconde de Mauá, suas operações foram transferidas para o terreno logo atrás do muro do Shopping Aldeia dos Imigrantes. Fica também registrada aqui a nossa gratidão ao Sr. Juan Clinton Llerena, que cedeu, em 2007, o terreno onde demonstrou-se a viabilidade da reciclagem local do nosso lixo orgânico, evitando que muitas toneladas de resíduos e nutrientes valiosos fossem despejadas inadequadamente na Natureza - no "aterro controlado" de Resende, no distrito de Bulhões, a 70 km de nossa região.
Fatores de degradação
Obra abandonada do Centro de Turismo e Artesanato contribui para desmoralizar a região e o governo
Abandonada há dois anos, a obra do enorme complexo cultural que o governo decidiu construir na vila de Visconde de Mauá - atropelando outras prioridades muito mais importantes para a população - soma-se com destaque à degradação visual que vai desfigurando progressivamente a região. A retirada das placas que identificavam a empresa Terracota (ver notícia acima) insinua que o problema é muito mais grave, e que o descontrole prevaleceu de vez   E como disse Caetano: "Aqui tudo parece que era ainda construção e já é ruína" (em Fora de Ordem)
Instalações industriais na estrada para Penedo e Mauá banalizam o visual e desvalorizam o turismo 
Esperava-se que o plano-diretor e o planejamento de Itatiaia cuidassem para que a estrada RJ-163 (Rodovia Cel. Rubens Tramujas Mader) se mantivesse como o verdadeiro pórtico de toda a nossa região turística, mas a degradação galopante do trecho entre a Via Dutra e a saída para o pórtico de Penedo está cada vez mais evidente e irreversível.
Textos
 Esclarecimentos sobre o PEPS são divulgados, apesar de existir quem preferisse a desinformação  
Marcelo Brito relembra a recusa da Assomar, ano passado, em receber Márcia Barroso (chefe do Serviço de Comunicação Social da Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Estadual de Ambiente / RJ, desmarcando na véspera a apresentação agendada com aquela servidora pública para o dia 18/06, onde ela esclareceria os moradores interessados sobre a iniciativa do governo fluminense de criar o Parque Estadual da Pedra Selada - PEPS, e discutir com eles suas razões e seus impactos.
Gestão ecológica do lixo em Visconde de Mauá (parcela Resende) - situação atual e sugestões
Análise encaminhada ao novo presidente da Agência Municipal de Ambiente de Resende - AMAR, sugerindo um sistema mais sustentável de gestão dos resíduos sólidos gerados nas vilas de Visconde de Mauá e Lote 10.
Crianças e jovens da região cada vez mais conectados, mas para quê?
A juventude da região está quase toda informatizada, mas os efeitos para a comunidade correm o risco de ficar no "virtual". 
Lista Amigos de Mauá
Estamos reformulando a nossa Lista de modo a torná-la mais informativa e só incluir quem queira que o seu nome seja divulgado. Por isso solicitamos (a quem ainda não o fez) a gentileza de preencher este formulário para participar de nosso grupo e gozar das prerrogativas garantidas a todos os Amigos de Mauá. .

Súmulas anteriores: 001 - 002 - 003 - 004 - 005 - 006 - 007 - 008 - 009 - 010 - 011 - 012 - 013 - 014 - 015 - 016 - 017 - 018 - 019 - 020 - 021 - 022 - 023