Divulgados os Resultados Parciais de Pesquisa Sobre a Pavimentação

 

Vila de Maringá, 17 de janeiro de 2013

Texto de Marcelo Brito        

 

Uma publicação regional intitulada “O Melhor de Visconde de Mauá” acaba de divulgar os resultados parciais de uma pesquisa realizada entre os mais de 170 comércios que constam em seu cadastro.

A informação recém divulgada diz respeito, justamente, à questão da pavimentação das estradas da região.

Para quem não vem acompanhando a discussão, nesse final de ano passado, um grupo de moradores encaminhou para o governo do estado do RJ, um abaixo-assinado de mais de 1000 assinaturas em conjunto com documentos técnicos explicando os motivos de uma pavimentação da estrada com bloquetes ser uma solução mais viável tecnicamente e mais ambientalmente correta do que a pavimentação por asfalto proposta pelo governo (http://amigosdemaua.net/estrada/abaixoassinado_bloquete.htm).

As associações locais reagiram com o envio de um documento assinado por todas pedindo pelo asfaltamento, menosprezando os estudos apresentados e afirmando que a população, que eles afirmam representar, deseja que a pavimentação seja realizada com asfalto .

Pois bem, essa pesquisa recém divulgada dá os votos individuais de cada comerciante consultado e demonstra que, ao contrário do que afirmam as associações, existe uma maioria de 59 % contra 18% favorável aos bloquetes como método de pavimentação.

Outros 15% afirmaram não ter preferência entre bloquete ou asfalto, enquanto que 7% preferem que a pavimentação permaneça como está, desde que haja uma garantia de manutenção mais freqüente.

Mais uma vez, coloca-se em cheque a representatividade dessas associações locais, que até o momento não têm se mostrado à altura dos desafios que a população da região precisa enfrentar.

O editor da revista publicou os resultados e os votos de cada um dos participantes da pesquisa. Os comércios abaixo citados podem entrar em contato com o Amigos de Mauá através do seu endereço de correio eletrônico (amigosdemaua.net@gmail.com e amigosdemaua.net.br@gmail.com), caso desejem, de público, contestar a informação que recebemos. Ou se fizerem parte do Facebook, façam o seu próprio comentário ao final dessa página.

Todas as mensagens, desde que não tenham conteúdo ofensivo, serão publicadas.