Carta-aberta aos participantes do Seminário
"Controle do acesso e circulação interna"
e à comunidade da região de Visconde de Mauá  
 

Como o nome deste Seminário evidencia, o tema nele tratado é do interesse de toda a região, de sua população humana e também dos ecossistemas que aqui conosco convivem.

Por isso causou suprema estranheza que tal evento, promovido por duas associações comerciais locais, com apoio do Sebrae-RJ e participação de representantes do poder público, tenha excluído os representantes das ONGs que atuam há anos nas questões socioambientais da região.

  • Onde estão os representantes do Conselho Gestor da Microbacia do Alto Rio Preto (onde a região de Visconde de Mauá se inscreve), criado por Decreto Municipal (Resende) em 2006 para reunir representantes dos órgãos públicos e das entidades empresariais e associações civis locais, e que busca, desde então, consolidar aqui uma governança mais participativa?
  • Onde estão os representantes do Colégio Estadual Antonio Quirino e das escolas municipais, cujos alunos deverão viver na região daqui a décadas?
  • Onde estão os representantes das ONGs locais que há tantos anos desenvolvem os projetos sócio-ambientais que buscam organizar e preservar a região?
  • Onde está a Associação Pró-Bem-Viver, que há sete anos mantém a Banda Musical (envolvendo dezenas de jovens), há seis anos mantém o Centro Cultural, visitado anualmente por centenas de estudantes, e há três anos mantém uma minicentral de compostagem comunitária na vila de Visconde de Mauá?
  • Onde está a Associação Nova Terra, que há 10 anos mantém a escola “A Caminho da Luz”, em Bocaina de Minas, e representa a comunidade que vive em um trecho mineiro incluído na região de Visconde de Mauá, e que será igualmente impactada?
  • Onde está a Associação Crescente Fértil, que há 9 anos realizou o projeto “Integrando Ações na Mantiqueira”, envolvendo jovens de toda a APA, inclusive vários da região de Mauá, e que depois liderou, participativamente, o processo de elaboração do ”Plano de Gestão Integrada” da região, do qual resultou a criação do Conselho Gestor?
  • Onde estão os representantes da APA Federal da Mantiqueira, cuja integridade será afetada pelos controles de acesso e circulação interna” para reduzir os impactos da pressão antrópica aumentada com a facilitação do acesso à região? (*)

É espantoso e lamentável que as associações empresariais locais insistam em segregar e ignorar as entidades socioambientalistas regionais, que sempre se pautaram por práticas inclusivas. Porém certamente é um sinal da decadência dos valores republicanos ver órgãos públicos ou financiados com recursos públicos (como o Sebrae-RJ) se prestarem a esse papel, de referendar a usurpação da governança local que os comerciantes de Visconde de Mauá vêm tentando há pouco mais de um ano, com o beneplácito e leniência das autoridades federais, estaduais e municipais.

Os interesses profissionais, comerciais e financeiros têm certamente seu lugar na organização de uma sociedade, mas não podem sobrepujar as necessidades sociais, culturais, éticas e ambientais da população e dos ecossistemas, que não podem ser monetarizadas. Tem que haver um equilíbrio.  

A estratégia adotada pelos comerciantes locais, de excluir os “socioambientalistas”, com o apoio (talvez inadvertido) das autoridades públicas,  não tem a menor chance de sucesso, pois qualquer iniciativa significativa, para lidar com os impactos iminentes, vai requerer um tipo de conhecimento, de experiência, de sensibilidade, de comunicabilidade e de credibilidade que os nossos comerciantes improvisados em líderes de fancaria simplesmente não detêm.

(*)..Recebemos a informação da Mauatur de que o Presidente do PNI foi convidado e compareceu ao Seminário, e que o Presidente da APA da Mantiqueira foi convidado mas avisou que não poderia participar.
N.E.:.Talvez o Presidente do PNI também não pudesse participar se soubesse, de antemão, da exclusão das ONGs ambientalistas do referido Seminário.

Lista de adesão (por ordem alfabética):

Adriana M. Praça, Alvaro Braga, Andrea Alice da Silva, Angela M. Bauzys, Antar Gyan, Antônio Carlos Iazpeck, Cândido P. do Couto Machado, Cláudio Serricchio, Carolina Buhler Alves, Clarissa Palma de Brito, Consuelo Pamplona, Cristina Rodrigues, Daniele Bittencourt, Dayse Multedo, Dettloff von Simson, Eduardo Barros, Fernando Fleury, Fábio Gameleira, Fernando Menandro, Gabrielle Six, Gaia S. Traverso, Gilberto Lopes, Giulia Braga, Iracy Lemos de Oliveira, Jarbas F. Ferreira, Jean Pierre, Joaquim Moura, Julia Hardiman, Kacá Versiani, Kashi, Lino Matheus, Luciano Moreira Jardim, Luis Armondi, Luis Felipe Cesar, Luís Felipe Guimarães, Manuela Ayres Jacobi, Marcelo P. do Couto Machado, Marcia Patrocínio, Marco Antonio M.P. Santos, Maria Emilia Moraes e Sousa, Maria da Penha Bolivar Moreira da Silva, Mary Anne Neves Sá, Nereida Cortopassi, Nívea M. Leite, Noemi del Passo, Olga R.M. von Simson, Pedro Ferreira, Penelope Diniz, Prudência Silva Santos, Raquel Ribeiro, Raymundo Rodrigues, Regina Guerra, Renata M. Leite, Renata Nesti, Teresa Bettoni, Thereza P. do Couto Machado, Toninho Guia

Inscreva seu nome nesta lista enviando mensagem neste sentido para: amigosdemaua.net@gmail.com