O que mais pode ser dito sobre o Centro de Turismo e Artesanato em construção em Visconde de Mauá??

Após quase dois anos de obra iniciada, o complexo cultural que o governo estadual decidiu construir na até então bucólica vila de Visconde de Mauá vai ganhando uma escala incompatível com o contexto e se revelando o maior candidato a elefante branco da região.

Aliás, com essas imensas paredes brancas e as nossas chuvas torrenciais, logo esse elefante estará cinza-mofado, todo manchado, desafiando o orçamento municipal ao  demandar pinturas frequentes - pois o complexo será gerido pela prefeitura de Resende.

 

Vista em perspectiva da área frontal do complexo cultural.

Vista do complexo por trás.

Acima e abaixo, duas visões assombrosas do prédio principal do complexo cultural, que substituiu o prédio da antiga resfriadeira, antigo centro da atividade leiteira da região, que foi por muitas décadas a nossa principal atividade econômica.
Abaixo, duas vistas de prédios que compõem o complexo. Quanto custará manter e operar essas instalações?

Abaixo, os dois pórticos que prometem tornar-se o símbolo de Visconde de Mauá, marcos arquitetônicos marcantes capazes de representar toda uma cidade, uma cultura, uma civilização, como o Arco do Triunfo, o obelisco de Washington D.C., Stonehenge, e a Torre de Babel...