V Semana da APA da Mantiqueira
Seminário de Educação Ambiental
A reunião para apresentação dos projetos de EA em andamento na região, promovida em 6 de junho de 2014 pelo Centro Cultural Visconde de Mauá em parceria com a APA Federal da APA da Serra da Mantiqueira e o Parque Estadual da Pedra Selada, foi um sucesso de público, tanto em termos de quantidade (30 pessoas) quanto de qualidade.

O encontro foi prestigiado com a presença do Chefe da APA, Leonardo Brasil, do Chefe do PEPS, Rodrigo Rodrigues (nossos parceiros), do presidente da Agência de Meio Ambiente do município de Resende (AMAR), Wilson Moura, e do ambientalista patrono da prófundação Mantiqueira, Lino Matheus.

Os demais presentes, todos envolvidos com questões ambientais e de educação ambiental:: Adriana Santos, Agenor Siqueira, Agmar Bitencourt, Aline Turque, Antonio Carlos Yazpeck, Eliel Dutra, Gaia Traverso, João Pedro Vieira, Joaquim Moura, Leo Gatti, Luis Armondi, Luis Mauro Magalhães, Marcelo Brito, Márcia Patrocínio, Mário Marcos, Maurício Rosa, Natália Castro, Paulo Solon, Regina Gama, Regina Mouffron, Rui Takeguma e Tahyna Bitencourt, representando diversas entidades: AAPPRVM, AMERJ, APASM/ICMBio, CEMARP, CCVM, GEAN, INAN, INEA/PCSS, Mauatur, PEPS/AMAR, AMAR/Resende, PróFundação Mantiqueira, Sindicato Rural de Resende, UFFRJ.

A diretora do CCVM, Márcia Patrocínio, abriu os trabalhos agradecendo as presenças e apresentando a exposição "IX Salão do Pinhão", que serviu de cenário muito apropriado para a nossa reunião.

Após, Leo Brasil, da APA da Mantiqueira, realizou uma apresentação sobre aquela Unidade de Conservação, explicando como a sua exígua equipe de quatro analistas ambientais se desdobra para cumprir as múltiplas funções que lhes competem - entre elas a Educação Ambiental -, considerada estratégica e fator decisivo para fazer recuar a necessidade de autuar os cidadãos locais por crimes ambientais.

Explicou como a equipe da APA vem programando suas atividades ao longo do ano de modo a aumentar a presença dos seus técnicos e analistas ambientais em todos os municípios da APA, por meio de um rodízio planejado, que racionaliza inclusive a atuação do Ministério Público contra os ilícitos ambientais e a inapetência dos órgãos ambientais municipais em cumprirem seu papel de reprimir a degração do ambiente natural.

Sobre as atividades de EA, a equipe da APA já reúne bastante experiência, inclusive pela parceria continuada com escolas da região. Outro vetor adotado pela APA para divulgar na região a preocupação de se evitar impactar ainda mais a natureza local, é integrado pelos Grupos de Trabalho criados pelo CONAPAM (Conselho Consultivo da APA Federal da Mantiqueira). Entre eles, destaca-se o GT de Resíduos Sólidos, onde a Educação Ambiental é considerada um fator decisivo para o seu sucesso.

Leonardo Brasil destacou ainda a importância do Ministério Público ser notificado dos crimes ambientais que não sejam coibidos pelo poder público municipal depois de repetidas vezes informado. Geralmente os procuradores do MP têm sucesso mais rápido onde outros penam esperando por solução.

A seguir Eliel Queiroz, da RPPN Agulhas Negras (Serrinha), analisou o gravíssimo problema da falta de profissionalismo nos órgãos públicos, onde os cargos comissionados são ocupados por correlegionários dos políticos da vez no poder, sem maior responsabilidade pelo que lhes compete fazer. Cada vez que há mudanças no executivo municipal, uma troca de prefeito ou de secretário, todos os projetos são prejudicados ou descontinuados.

Para evitar esse e outros inconvenientes que inviabilizam a produtividade do setor público e fragilizam fatalmente a gestão ambiental, Eliel redigiu uma proposta, ora em discussão nos Conselhos de Meio Ambiente e de Turismo de Resende, com recomendações objetivas para a instituição de políticas permanentes que superem os inconvenientes do atual modelo. É um estudo aprofundado, de quem conhece os problemas que enfrentamos, e apresenta propostas consistentes que deverão ser levadas ao legislativo municipal (veja aqui e encaminhe suas sugestões para rppn.agulhasnegras@yahoo.com.br.

O guarda-parque Mário Marcos apresentou as atividades de Educação Ambiental que a equipe do  Parque Estadual da Pedra Selada vem desenvolvendo na região.

Informou-nos a preocupação permanente de dialogar com os moradores e orientá-los sobre os benefícios para todos resultantes da presença de uma Unidade de Conservação ajudando a preservar a natureza local.

Mário apresentou fotos das atividades de EA realizadas pela equipe do Parque nas escolas da região, destacando as ações nessa Semana do Meio Ambiente de 2014, em parceria com a Escola Municipal Joaquim Miguel dos Santos ((Itatiaia), quando os estudantes participaram de várias atividades, como apresentações e passeios tecnicamente orientados e vivências como “Guarda-parque por um dia”, onde um grupo de jovens participou da rotina diária da equipe ambental do PEPS.

Depois do almoço, Rodrigo Rodrigues, chefe do PEPS, apresentou o projeto "Nas Ondas do Ambiente", de comunicação comunitária ambiental indispensável que o INEA-RJ está implantando em diversas comunidades fluminenses.

A proposta é formar um grupo de organizações atuantes na região para gerenciar uma rádio comunitária por meio da internet (rádio web).

Diferentemente de uma estação de rádio convencional (“rádio física”), que exige equipamentos e antena de transmissão muito caros e técnicos - e uma concessão de “rádio comunitária” difícil de obter no Ministério das Comunicações -, as rádios web exigem apenas equipamentos e programas hoje bem acessíveis e capacitação em técnicas radiofônicas que o programa fornece.

Para viabilizar o projeto em nossa região, estão previstas duas apresentações para divulgar a proposta a mais moradores e organizações locais: uma no Colégio Estadual Antônio Quirino (focando no envolvimento dos jovens), e outra para representantes das entidades que integram o Conselho do PEPS (aberta naturalmente aos demais moradores interessados).

Nessas apresentações, os interessados poderão se inscrever para participar do treinamento em técnicas  radiofônicas, capacitando-se para colaborar na operação da nossa rádio-web.

O treinamento, a ser aplicado, em vários módulos totalizando 100 horas, inclui a elaboração da grade de programação, a redação de textos jornalísticos próprios para radiodifusão, narração, produção de vinhetas sonoras, temas ligados ao ambiente e aos moradores etc.

O plano é que até novembro nossa rádio-web esteja operacional, ajudando toda a comunidade a se conhecer melhor e promover seu desenvolvimento socioambiental do modo mais sustentável possível.
 
Wilson Moura, presidente da Agência de Meio Ambiente do município de Resende – AMAR, nos informou sobre as atividades de EA do Centro de Referência em Educação Ambiental de Resende – CREAR, e a gravidade do problema da destinação dos resíduos sólidos do município, cada vez mais desafiante.

Para reduzir o volume de lixo despejado no aterro sanitário em Barra Mansa (em Resende não há, no momento, uma alternativa que seja ambiental e legalmente viável), a AMAR vai ampliar e intensificar a coleta de resíduos recicláveis, inclusive aumentando a frota de caminhões para essa tarefa (de dois para seis) e participando da parceria com o Grupo de Trabalho de Resíduos Sólidos do CONAPAM/APA da Mantiqueira.

Outra providência da maior importância e passar a cobrar, dos grandes gerados de resíduos no município, que paguem pelas despesas que a coleta e o descarte de seu lixo originam.

Paulo Solon, morador de Bocaina de Minas em frente à vila do Campo Alegre (Resende, RJ), quis saber o que fazer para evitar que o esgoto dos moradores poluam as  águas do Rio Preto bem em frente à sua propriedade (que trata seus efluentes). Diante do tempo decorrido desde que Paulo Solon denunciou o ilícito aos gestores da AMAR (gestão Silvio de Carvalho), a opção seria recorrer ao Ministério Público.

Porém o atual presidente da AMAR recomendou que Paulo encaminhasse novamente sua denúncia àquela entidade, que dessa vez o problema seria tratado com a celeridade devida, dispensando a intervenção do MP.

A seguir, Gaia Traverso, da equipe do INEA que atua na região promovendo a coleta seletiva e a educação ambiental nas escolas,descreveu diversas ações realizadas recentemente, inclusive no Colégio Estadual Antônio Quirino, onde foi implantada uma horta orgânica e um minicentro de compostagem.

Gaia confirmou o potencial pedagógico das atividades ligadas à produção de alimentos, que pode envolver diversas disciplinas, como biologia, matemática, linguagem etc.

Por fim, Agenor Siqueira, presidente do Grupo Excursionista Agulhas Negras, relatou as atividades de Educação Ambiental do GEAN voltadas principalmente para a juventude da região.

Agenor informou que o GEAN pretende viabilizar em breve, no Alto Rio Preto, um curso de formação de guias de ecoturismo, onde os jovens são levados a conhecer as trilhas que cortam a região, o Parque Nacional de Itatiaia e seus arredores.

Nessa atividade, os jovens aprendem como se comportar nos ambientes naturais onde vão trabalhar, noções de primeiros socorros, informações sobre a fauna e a flora, etc.
 

Conclusões

Após tantas apresentações e debates, que se estenderam das 9h30 às 16h, ficou prejudicada a 2ª parte do encontro que seria destinada a recolher ideias para integrar mais as várias iniciativas de Educação Ambiental ora em curso na região.

Para superar essa impossibilidade, ficou combinado que os interessados continuarão se comunicando pela internet, num "seminário permanente", buscando planejar e desenvolver ações focadas principalmente em três eixos (propostos por Joaquim Moura):
  1. desenvolvimento da juventude, que os prepare para gerirem a comunidade daqui a poucas décadas, em condições críticas;
  2. gestão ecológica e exemplar dos resíduos sólidos, como prática de responsabilidade ambiental que cabe a tod@s;
  3. educomunicação comunitária - jornal-mural, rádio-web, internet, blog, facebook, minijornais etc. para acender a luz da comunidade.
A partir desses três eixos, todos os demais problemas poderão ser abordados com maior consistência, tendo os jovens envolvidos, com a moral alta por causa do lixo bem manejado na comunidade, e todo mundo informado sobre o que está em jogo, o que está sendo feito, e como se pode ajudar.

De fato, foi notado que em todas as apresentações esses três eixos estavam envolvidos, como nas apresentações da Gaia (a juventude do CEAQ), do Leo e do Wilson Moura (prioridade na gestão ecológica do lixo na APA e em Resende), e do Rodrigo (comunicação comunitária no Alto Rio Preto via rádio-web). 

O mais natural será as pessoas mais motivadas contribuírem, conforme sua experiência e interesse, em um desses três eixos (ou em dois ou em todos), já podendo se prever focos no apoio às atividades no CEAQ (juventude), no projeto-piloto do CONAPAM em Visconde de Mauá (reduzir os resíduos sólidos que descem a serra), e na implantação da rádio-web com o PEPS (educomunicação comunitária).

Essa contribuição pode ser mais presencial, para quem mora perto e tem mais tempo, ou à distância, via internet, contribuindo com ideias e algumas tarefas de pesquisa e comunicação, etc.

Se tiver interesse em participar, favor contatar luisarmondi@hotmail.com ou leogattibr@gmail.com
Cinco presenças notáveis e simpáticas no Seminário, representando o Parque Estadual da Pedra Selada e a APA Federal da Serra da Mantiqueira
A seguir, três fotos de Rui Takeguma
Acima, em primeiro plano, Lino Matheus, da Fazenda Bela Vista e da pró-Fundação Mantiqueira, e Agenor Siqueira, do GEAN