Análises da água do Rio Preto em janeiro de 2012

O quadro abaixo foi montado a partir dos relatórios fornecidos pela empresa "Água das Agulhas Negras" (AAN), que resumem os dados coletados e analisados em janeiro de 2012

Para maiores detalhes, acesse a página elaborado por Marcelo Brito, representante da ASSOMAR no Conselho Gestor 



Ponto

ETE da Maromba

ETE de Maringá

ETE do Lote 10

 

 

Montante

Jusante

Montante

Jusante

Montante

Jusante

Análise físico-química

Unidade

Padrão (1)

DBO

19

19

14

16

10

9

mg/L

< 120

OD

8,9

8,8

8,4

8,9

8,3

8,7

mg/L

Turbidez

1,82

1,66

5,19

1,84

5,18

4,37

NTU

Cor verdadeira

16

17

17

25

25

20

HZ

pH

7,03

7,08

6,97

6,94

7,04

7,12

sorensen

entre 5 e 9

Análise bacteriológica

Unidade

Padrão

Coliforme fecal

1.500

1.100

443

150

733

650

NMP/100ml

< 1000 = "Própria"


(1)
- Os padrões aceitáveis para permitir a "balneabilidade" estão sendo pesquisados para serem incluídos aqui. Por ora, é bom conhecer a "
Classificação da Balneabilidade" segundo a resolução CONAMA nº 274/2000.

Segundo essa resolução, as águas doces, salobras e salinas, destinadas à recreação de contato primário, podem ser classificadas em quatro categorias, a saber: EXCELENTE, MUITO BOA, SATISFATÓRIA ou IMPRÓPRIA, podendo ser usado como critério de enquadramento as quantidades de coliformes fecais encontradas em um conjunto de cinco amostras, coletadas durante semanas consecutivas (ver tabela abaixo). As categorias de balneabilidade EXCELENTE, MUITO BOA e SATISFATÓRIA podem ser reunidas em uma única categoria denominada PRÓPRIA. Mesmo apresentando valores de coliformes fecais inferiores a 1000, um corpo hídrico poderá ainda ser classificado como IMPRÓPRIO quando: houver incidência relativamente elevada ou anormal de doenças por veiculação hídrica; apresentar sinais de poluição por esgotos, perceptíveis pelo olfato ou visão; acusar recebimento regular intermitente ou esporádico de esgotos por intermédio de valas, corpos de água ou canalizações, inclusive galerias de águas pluviais; indicar presença de resíduos ou despejos, sólidos ou líquidos, inclusive óleos, graxas e outras substâncias capazes de oferecer riscos à saúde ou tornar desagradável à recreação; apresentar pH menor que 5 ou maior do que 8,5; acusar, na água, presença de parasitas que afetem o homem ou a constatação da existência de seus hospedeiros intermediários infectados e outros fatores que contra-indiquem, temporária ou permanentemente, o exercício de recreação de contato primário.

    Enquadramento das condições de balneabilidade com base na resolução CONAMA 274/2000

    CATEGORIA LIMITE DE NMP DE COLIFORMES FECAIS / 100 mL
    EXCELENTE Máximo de 250 em 80% ou mais das amostras
    MUITO BOA Máximo de 500 em 80% ou mais das amostras
    SATISFATÓRIA Máximo de 1000 em 80% ou mais das amostras
    IMPRÓPRIA Acima de 1000 em mais de 20% das amostras