Festival de placas desmoralizantes do DER/Seobras-RJ prossegue na região de Visconde de Mauá

Será que não tem mais ninguém alfabetizado na cadeia de comando do DER que impeça que tantas placas com erros grosseiros sejam espalhadas na região, escandalizando e deseducando os passantes e desmoralizando a imagem da Seobras e do Governo fluminense?

Vejam abaixo algumas fotos de itens de comunicação desses órgãos públicos com erros grosseiros, revelando desmazelo, decadência e descontrole na cadeia de comando. Não é possível que tais placas - com tamanhos barbarismos - sejam produzidas, aprovadas, transportadas e instaladas sem ninguém perceber os seus erros.

Depois disso, incontáveis técnicos, engenheiros, empreiteiros, gestores, secretários e subsecretários estaduais e municipais - até o governador e o seu vice - já passaram por essa estrada sem se incomodar com os erros grotescos nem providenciar sua correção.

Mas, podem crer que ainda há muitas pessoas que percebem os erros e avaliam perfeitamente nas mãos de quem viemos parar... De pessoas e autoridades despreparadas, que não se importam em escandalizar os outros com seus erros, em desorientar as crianças e jovens estudantes, e em ensinar errado às pessoas mais simples que passam pela estrada.

Se hoje a tendência à decadência é tão grande, generalizada e promovida até pelas autoridades, mais motivos temos para nos esforçarmos justamente na direção oposta. Além disso, a busca permanente da excelência é um aspecto incontornável da "Responsabilidade" - um dos principais valores da ética que precisamos promover entre nós.

 

Veja ainda fotos de mais placas e impressos do DER/Seobras-RJ (e também do INEA/SEA-RJ) contendo erros crassos e insistindo em implantar o "seobrês" na região: (1) Mais antigas  e (2) Mais recentes
OBRAS A 500m ou OBRAS Á 500m?
Seis placas do DER (três voltadas para quem sobe, e três iguais voltadas para quem desce) com esse incrivel "Á", nunca visto na língua portuguesa. Só em "seobrês". Se fosse um "À", com acento grave (sinal de crase), também estaria errado, mas ao menos existe no idioma.
ACESSO À RODOVIA ou ACESSO A RODOVIA?


Acima, uma é a original, a outra foi corrigida no Photoshop.
Qual a certa, qual a errada? Uma dica: a placa da esquerda é de autoria do DER/Seobras-RJ.
Outra dica: o acesso não é a qualquer rodovia, mas sim, especificamente, àquela onde o leitor trafega.

 

CONSERVAÇÃO ou CONCERVAÇÃO?
Detalhe da grande placa (abaixo) colocada onde deverá ficar o pórtico, voltada para quem vai na direção de Visconde de Mauá.

Mesmo detalhe em outra placa, igual à anterior, colocada na mesma reta, porém voltada para quem vai na direção de Resende.

Como a placa anterior caiu (mal fixada), semanas depois instalaram outra (ou seria a mesma), mal montada e com o mesmo erro.

ESTRADA-PARQUE ou ESTRADA PARQUE?

Acima a placa que identifica a casa-sede da equipe de "Gestão Ambiental e Social", onde se vê "ESTRADA  PARQUE" sem hífen, infringindo a lógica do idioma (ver exemplos como "pau-brasil", "célula-tronco", "ano-luz", "tio-avô", "homem-bomba", "peixe-boi", "mesa-redonda") e divergindo do texto do Decreto RJ 40979/2007, do governador Sérgio Cabral (que instituiu o conceito e os parâmetros das estradas-parque no estado do Rio) , onde vemos treze
vezes grafada a expressão "estrada-parque" sempre com os hífens certinhos no lugar.
Considerando-se que a UERJ é uma universidade de prestígio, é lamentável ver seu nome sistematicamente associado a tais inconsistências gramaticais.