Um Retrospecto da ASSOMAR Segundo a Percepção de um de seus Colaboradores - Parte I

 

Texto de Marcelo Brito      

 

Nesses últimos dois anos ganhei uma certa visibilidade local, por conta de meu engajamento junto a certas associações. Por este motivo tenho recebido muitas perguntas sobre o que está ocorrendo nessas entidades. Resolvi então escrever e publicar uma sequência de textos narrando a minha interpretação pessoal do ocorrido, lembrando sempre que, infelizmente, não sou o dono da verdade; portanto essa é unicamente a minha interpretação dos fatos:

 

 

Sou associado da ASSOMAR a pouco mais de dois anos, e durante esse tempo tenho me esforçado no sentido de ser o mais participativo possível. Tenho ciência de que minhas visões e opiniões pessoais não são as mesmas da maioria dos moradores da região, e acredito que isso faz parte da vida. Reflito, busco explicações, exponho minhas idéias, tento convencer os outros de meus argumentos, e acato a opinião da maioria. Não imponho minha vontade ou minhas convicções sobre os outros. Costumo ser cuidadoso em minhas conclusões, procuro ouvir diversas versões e opiniões antes de tomar minhas decisões e assumir posturas.

 

Antes de optar por entrar na ASSOMAR, me dei ao trabalho de freqüentar reuniões da MAUATUR, do Conselho Gestor, da APROVIM (Associação de Produtores Rurais de Visconde de Mauá) e reuniões públicas convocadas por entidades do governo do estado do RJ. Além de um espaço próprio, busquei informações sob os mais variados pontos de vista. Cheguei à conclusão de que o local aonde me sentiria mais a vontade para atuar seria em uma associação de moradores, pois nela, em tese, a preocupação seria mais ligada ao social do que aos interesses comerciais e econômicos.

 

Desde o momento que entrei na associação, as duas pessoas mais próximas de mim são o Cláudio Lopes (atual presidente) e o Daniel de Brito (que NÃO É meu parente). Naquela época, eles demonstraram ser as duas pessoas mais participativas da associação e ambos foram relativamente acessíveis ao convívio comigo (não sou uma pessoa das mais fáceis de se lidar). Cada um de nós possui idéias e valores independentes, isso significa que temos nossas discordâncias e discussões. Mas desde o meu primeiro momento como associado, tornamo-nos as pessoas mais envolvidas com o dia a dia da ASSOMAR.

 

É curioso notar como, no nosso dia a dia, as coisas ocorrem e às vezes desmentem certos preconceitos existentes.

 

Lembro-me como em setembro do ano passado (2011) fui questionado por diversos amigos e conhecidos, com relação à eleição da, então, nova diretoria, da ASSOMAR. Havia uma pré-concepção de que o então recém eleito presidente, Gilberto Ramos, seria uma pessoa por demais conectada com as associações comerciais e que ele seria alguma espécie de “ditador reacionário” na ASSOMAR.

 

Pois bem, sou testemunha ocular de, que apesar de um problema pessoal de saúde que o impossibilitou de cumprir plenamente todo o seu mandato de um ano à frente da associação, o Gilberto sempre se comportou de maneira absolutamente democrática e correta, inclusive quando foram tomadas decisões que, a princípio, não eram de seu agrado.

 

Quando da formação de sua chapa para a diretoria, foi necessário trazermos pessoas que não necessariamente continham o mesmo ponto de vista que o dele, e que nem gozavam da simpatia dos demais colegas de chapa. Todos esses problemas foram ultrapassados e vencidos através da conversa e da boa vontade de todas as partes.

 

Importante esclarecer também que, não só ele, como outros membros da diretoria, foram permanentemente cobrados e pressionados por representantes da MAUATUR, AMAMAUÁ e ACVM (pelo que me informaram, a proprietária da Fazenda do Mel, seria a principal interlocutora dessas “cobranças”), principalmente após a entrada da ASSOMAR no Conselho Gestor da Microbacia do Alto Rio Preto.

 

A logo-marca da ASSOMAR foi recriada durante a gestão de Gilberto Ramos, pela web-designer e diretora de comunicações da ASSOMAR, Vivian Sousa moradora da Maromba.

Um novo modelo de ofício, com aparência mais profissional, também foi criado na gestão Gilberto Ramos.

 

Eu, como colaborador que sou até hoje do Conselho Gestor, ouvia reclamações pelo fato da ASSOMAR nunca ter participado do CG. Informei-me na ASSOMAR, e descobri que, desde a criação da associação, em 2009, essa nunca fora convidada a se aproximar do CG. Articulei junto a então coordenadora do CG, Patrícia Carvalho, um convite para a ASSOMAR (que nunca veio) e comuniquei em assembléia da ASSOMAR que esse convite chegaria. Sugeri que fosse realizada uma discussão interna, antes de recebermos o convite.

 

O convite chegou dois ou três meses depois, quando o CG já havia empossado outro coordenador. Diga-se de passagem, (pois analisarei o Conselho Gestor em outra matéria), o texto no convite foi constrangedor. Para uma entidade que, em tese, pretende expandir o número de seus participantes, o texto no convite enviado para a ASSOMAR, de convidativo não teve NADA!!! Muito mal redigido e elaborado, parecia coisa coordenada para que não fosse aceito. (vide a "carta convite")

 

Voltando à gestão de Gilberto Ramos a frente da ASSOMAR; a associação amadureceu nesse período, transformando-a em uma entidade realmente independente, tomando a frente em iniciativas em prol da comunidade que representa, estabelecendo laços de comunicação e cooperação com o governo municipal e buscando uma identidade própria (fato esse que nunca foi visto com bons olhos pelas associações comerciais que mantinham um monopólio exclusivista nas relações com o governo estadual).

 

Fatos notáveis no período:

 

  • O Blog da ASSOMAR criado e administrado pelo Cláudio Lopes (vice-presidente de Gilberto Ramos). Na ausência de outros veículos de comunicação independentes na região, começou a se destacar cada vez mais como o informativo de toda a região de Visconde de Mauá. O conteúdo do blog foi, mais de uma vez, criticado por dirigentes da MAUATUR, inclusive através de maledicências (houve uma ocasião em que um alto diretor da entidade comercial acusou, com a mais absoluta das certezas, que eu teria sido o autor de uma postagem acerca da necessidade de um Centro de Informações Turísticas gerido pelo governo municipal (http://assomaritatiaia.blogspot.com.br/2012/01/informacao-ao-turista.html). Ao ser informado pelo próprio Cláudio, de que ele fora o autor da postagem, o empresário argumentou de todas as formas que a atitude correta da ASSOMAR seria pressionar o governo municipal a ceder verbas para que uma entidade particular, como a MAUATUR, pudesse abrir um novo centro de informações.

  • A ASSOMAR foi a primeira associação, não só a se manifestar oficialmente, contra o festival SerraSons (que acabou ocorrendo em Lumiar e resultou em um calote generalizado por parte de seus organizadores), como também tomou a iniciativa de alertar ao restante da comunidade quanto aos problemas que um festival desse porte poderia trazer para a região. O festival já havia sido encaminhado para a Secretaria de Turismo do Município de Itatiaia por dois diretores da MAUATUR e foi cancelado somente devido à interferência provocada pelo alerta dado pela associação que, ainda foi recriminada mais tarde, por outro diretor da MAUATUR, por conta da maneira como tornamos pública a questão.

  • A ASSOMAR procurou a diretoria da AMAMAUÁ (à época) propondo um ofício/movimento conjunto das associações no sentido de solicitar melhores condições e horários de ônibus urbanos da região. Fomos informados então de que a AMAMAUÁ não achava oportuno envolver-se no caso e que isso seria da alçada da administração regional da vila de Mauá (???).

  • As reuniões da ASSOMAR, que estavam meio paralisadas, tornaram-se mensais e passaram a ser freqüentadas por um número maior de pessoas (ficando mais participativa). O número de associados lentamente, começou a aumentar.

  • A ASSOMAR fortaleceu sua credibilidade junto ao governo municipal estabelecendo ações colaborativas com a prefeitura e suas secretarias, e intervindo de forma mais enérgica na reinvidicação de melhorias para a comunidade.

  • A entrada da ASSOMAR no Conselho Gestor deu maior visibilidade a associação, criando um novo canal de informações e gerando novos contatos importantes com a Agência do Meio Ambiente de Resende, INEA, SEOBRAS e a equipe da UERJ encarregada pelo cumprimento do PBA da Estrada-Parque. A tribuna do CG abriu um novo palanque para reinvidicações e deu uma nova visibilidade regional ao Conselho Gestor.

  • A elaboração e entrega do Caderno de Encaminhamentos da ASSOMAR para o governo do estado, talvez tenha sido o ponto culminante da gestão, pois rompia ali o monopólio das associações comerciais no que diz respeito a reconhecimento perante o governo do estado.

 

No início do ano de 2012, a falta de manutenção na RJ-151 foi motivo de uma campanha conjunta entre o Blog ASSOMAR (1 e 2) e o Amigos de Mauá (1, 23). Reunião entre representantes da ASSOMAR e o prefeito de Itatiaia Luis Carlos (Ypê) Ferreira Bastos. (fotografia Blog ASSOMAR)

 

 

É lógico que nem todas as iniciativas tomadas foram bem sucedidas:

 

  •  A tentativa de auxiliar a comunidade do “Viradão” (no morro do Retiro), na regularização fundiária de seus terrenos, foi uma iniciativa que, apesar de bem intencionada, não decolou, basicamente por falta de participação da própria comunidade.

 

  • Ainda no primeiro semestre de 2011, a ASSOMAR começou a cobrar do prefeito Luis Carlos Ipê e seu secretário de Meio Ambiente, o Sr. Domingos Baumgratz, uma solução satisfatória para a coleta de lixo, no trecho de nossa região em Itatiaia. O secretário Domingos explicou as dificuldades que sua secretaria estava passando, mostrou-se otimista para uma solução próxima e pediu que aguardássemos até novembro de 2011, por uma solução. Cumprimos o nosso lado do acordo e aguardamos uma resposta oficial dele. Mas não deixamos de continuar nos mobilizando: tiramos proveito de ocuparmos um assento no CG, e fizemos contato com o presidente da AMAR (Agência do Meio Ambiente de Resende).  Perguntamos se haveria alguma possibilidade de, em caráter temporário, eles realizarem a Coleta Seletiva de lixo de nossa região (da mesma maneira que eles fazem em Maringá-MG e na Escola da Maromba). A resposta foi afirmativa. Quando Novembro chegou, e passou, sem que tivéssemos resposta da prefeitura de Itatiaia, pedimos nova reunião e apresentamos a solução de um acordo com a AMAR. Tivemos uma longa discussão com o secretário Domingos Baumgratz e quando tínhamos praticamente vencido ele pelo cansaço (ele já estava aceitando a idéia de receber a ajuda da AMAR), fomos atrapalhados por um CC ("cargo comissionado") da região, que estava presente na reunião, e abriu uma porta de escape para o secretário através da sugestão de uso de um caminhão de sua propriedade (do CC). Por mais anti-ética que essa proposta possa parecer, o secretário afirmou que iria estudá-la e nós nunca mais conseguimos outra oportunidade igual para obtermos o serviço da Coleta Seletiva.

 

  • Essa derrota ainda nos levou a outro problema, pois resolvemos solicitar que os CCs da região não tivessem mais acesso às nossas reuniões com o prefeito e seus secretários. Os CCs sempre se mostraram um problema, pois em sua fidelidade a quem lhes deu um emprego, vivem interferindo nas discussões e tomando posições de defesa ao governo municipal. Nossa solicitação não foi atendida por um CC que chegou a esmurrar a mesa de reunião desafiando que alguém lhe retirasse do recinto.

 

Então, como já mencionado acima, o presidente Gilberto Ramos se viu numa situação em que precisaria se desligar de seu cargo por motivos pessoais. O calendário eleitoral da associação, por motivos que desconheço, continha um atraso, e foi negociada com o presidente a sua permanência no cargo até março, quando então realizaríamos uma nova eleição adequando o calendário eleitoral da associação com o estipulado no estatuto.

 

 

 

Em fevereiro, mais uma vez, o Blog ASSOMAR juntou forças com o Amigos de Mauá para denunciar incidente que provocou o mau funcionamento da Estação de Tratamento de Esgoto de Maringá e resultou na contaminação do Rio Preto, na semana anterior ao Carnaval.

 

 

Apesar dos resultados positivos que obtivemos durante essa gestão, houve um desgaste muito grande dentro da associação. Desgaste este, que veio reforçado, como escrito anteriormente, por pressões vindas de outras associações (de moradores e principalmente das comerciais) e pela repercussão de certos episódios específicos envolvendo os três principais atores já citados: Cláudio Lopes, Marcelo Brito e Daniel de Brito.

 

A soma desses episódios com o desgaste sofrido, acabaram por resultar na oportunidade de infiltração de representantes de outras associações (comerciais e moradores) na direção da ASSOMAR e resultando em uma revira-volta de posturas na associação.

 

Nos próximos textos descreverei:

 

  • O desgaste resultante da polemica interna a respeito do projeto de urbanização da vila da Maromba.
  • A maneira como ocorreu a infiltração da MAUATUR na ASSOMAR
  • A maneira como ocorreu a infiltração da AMAMAUÁ na ASSOMAR.
  • As irregularidades com que assuntos importantes (Conselho Gestor, Parque Estadual da Pedra Selada, Obras na RJ-151, etc....) passaram a ser tratados nas reuniões da ASSOMAR.
  • As distorções resultantes da infiltração dessas associações na ASSOMAR

 

Parte II - O Projeto de Urbanização da Maromba ->