Revitalizar é encher de vida, não de asfalto e cimento 


Logo a população da nossa região perceberá que revigorar e manter o interesse turístico de nossa região - pelas décadas vindouras (ou será querer demais?) - não depende do aumento do fluxo de visitantes graças à facilitação do acesso, nem da construção de um complexo cultural de futuro duvidoso.

Mais importante será tentar deter o processo de degradação ambiental e de irresponsabilidade social que vem desfigurando inúmeras regiões brasileiras, outrora afamadas por seus encantos e singeleza.

Um dos fenômenos que agravam a impressão de decadência da região (juntamente com a crescente poluição sonora) é a aparência de muitos muros, mofados, enegrecidos ou sem qualquer acabamento.

Para enfrentar esse desafio, a comissão de educação ambiental da Associação Pró-Bem-Viver Visconde de Mauá iniciou a produção de mudas de hera (Hedera helix) para plantio inicialmente junto aos muros do Lote 10 (ver no final da página, abaixo) e de outras espécies apropriadas para cerca-viva. 

Porém o sucesso da iniciativa depende da colaboração de outras pessoas com igual preocupação e do apoio das várias associações locais.


Abaixo, muros cobertos com hera no Lote 10 e em Resende