Ecologia Cultural Militante
Comunicação - Cultura - Comunidade

por Joaquim Moura


    Desde 1976, tenho me dedicado a projetos de conscientização da população sobre os problemas sociais e ambientais que nos afligem - e suas soluções mais adequadas.
    Para tanto, escrevi vários artigos nos principais jornais e revistas do Rio, Brasília e São Paulo, e implementei iniciativas concretas que tiveram a sua influência nesse processo de conscientização social.
    Essas iniciativas tiveram ampla repercussão nos meios de comunicação, introduzindo assim novas visões e conhecimentos inspiradores. Agora falta aprofundar e generalizar a discussão e pôr mãos à obra pela transformação e salvação do Brasil...
    Abaixo, a lista de artigos escritos por ou sobre mim, sempre sobre ecologia, agricultura, nutrição, saúde, desenvolvimento da juventude, organização comunitária e questões culturais relacionadas com nosso futuro.
    A tradução de todas as edições temáticas da Revista de Agricultura Urbana é outra forma de contribuir para a elevação da consciência da sociedade sobre o que pode ser feito para melhorar suas condições de vida.


Estatística de artigos publicados

O Globo = 20

Jornal do Brasil = 27

Correio Braziliense = 20

Veja = 1

Isto É = 2

Jornal de Brasília = 4

Estado de São Paulo = 1

Pasquim = 2

Outros jornais comerciais brasileiros = 11

Dos 85 artigos, listados abaixo, os 29 cujos títulos estão grafados em CAIXA ALTA são de minha autoria (mas nem sempre os títulos...). Os títulos em azul estão linkados a seus textos na íntegra.


001

Sombras no dia claro
Jornal do Brasil - (Rio de Janeiro) - 1 Ago. 1978
Crônica escrita por Carlos Drummond de Andrade, o mais importante poeta brasileiro deste século (1900/1986), sobre meus primeiros esforços práticos, através da mídia, para despertar a população, governo, artistas, jornalistas etc. Na época, o Jornal do Brasil era o jornal de maior prestígio no Rio.

002
Na serra do Caparaó
Correio Braziliense (Brasilia) - 22 Ago. 1978
Artigo escrito pelo jornalista premiado Bebé Prates, no principal jornal de Brasília, sobre minha opção de viver no interior, pesquisando o modo comunitário de cultivar o chão e educar as crianças.

003
RENASCER - O SONHO APENAS COMEÇOU
Correio Braziliense (Brasilia) - Set. 1978
Neste artigo (página inteira), eu expus porque estava vivendo em uma pequena fazenda, com alguns amigos e amigas, pesquisando as tecnologias ecológicas que irão (ou iriam), no futuro, curar os solos e o povo. E dar emprego a todo mundo. Este artigo me fez receber muitas cartas de leitores concordando com minhas considerações.

004
Os profetas da mãe natureza
A Tribuna (Vitoria) - 17 Set. 1978
Neste longo artigo (outra página inteira), eu - e os companheiros que viviam comigo - fomos entrevistados para explicar para a população porque tínhamos trocado a vida fácil do Rio de Janeiro pelo "trabalho duro" em nosso pequeno "kibbutz".

005
DESIGNOLÓGICO
Beijo (Rio de Janeiro) - 17 Set. 1978
Convidado pela Escola Superior de Desenho Industrial - onde estudei - escrevi um artigo contando porque - guiado por minha consciência - decidira trabalhar com a natureza pelo futuro. Esta revista cultural republicou meu paper original, levando muitos leitores a me escreverem.

006
COMIDA SEM VENENO (carta de leitor)
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - Jan 12, 1979
Decidido a encontrar mais pessoas também desejosas de organizar e implementar alternativas para acordar a população, jornalistas, equipe governamental etc., escrevi uma carta para um importante jornal, sugerindo a criação de uma cooperativa.

007
RESERVAS DE CAÇA
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - Fev 11, 1979
Neste artigo (página inteira), escrevi sobre a visão estreita daquelas pessoas que pensam sobre o Brasil apenas como uma selva onde eles podem caças alguns privilégios, principalmente por seu nível universitário. Ao invés, sugeri que toda pessoa graduada dê o melhor de volta para salvar a nação ameaçada.

008
POR UMA COMIDA SEM VENENO - I
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 15 Fev. 1979
A partir da carta que publiquei no Jornal do Brasil, recebi cerca de 12 respostas. Assim, escrevi um artigo mais long comentando as respostas que recebera e publiquei (página inteira) no mesmo importante jornal, lido por todos no Rio

009
PALAVRA DA IGREJA CONTRA A POLUIÇÃO
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 10 Mar. 1979
Neste artigo, escrevi sobre a campanha anual da Igreja Católica, desta vez responsabilizando aqueles que estragam o meio ambiente, criado por Deus para ser desfrutado, não para ser destruído.

010
POR UMA COMIDA SEM VENENO - II
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - Mar. 1979
A partir daquele artigo mais longo, recebi mais de 300 cartas, todos pedindo por participação em minha proposta para organizar uma cooperativa reunindo produtores e consumidores orgânicos. O artigo descreve a primeira reunião (mais de 200 pessoas).

011
Tomando de volta o caminho pra roça
Isto É - magazine (Rio de Janeiro) - 9 Mai. 1979
Neste artigo, esta importante revista semanal relata a tendência "natural" que estava levando muitas pessoas de volta para o interior. Nossa nova cooperativa, Coonatura, foi mencionada como parte deste fenômeno.

012
POR UMA COMIDA SEM VENENO - III - Os utopistas estão chegando
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 15 Mai, 1979
Este artigo descreve as primeiras iniciativas da nossa nova cooperativa.
Desde a primeira reunião, muitas pessoas ajudaram a organizá-la e muitos ofereceram um grande apoio, como um lugar, em Copacabana, para estocar e vender os produtos.
013
CARNE OU VEGETAIS?
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - Jun. 1979
Nesta vez, um novo (mais um) aumento no preço da carne levou muitas mulheres a boicotarem o produto. Para elas, isso era um sacrifício supremo. Portanto escrevi este artigo contando todas as razões porque nós, vegetarianos, não comemos carne, tampouco.

014
CRISE ENERGÉTICA - SAÍDA PELA DEMOCRATIZAÇÃO DA PESQUISA
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 17 Jun. 1979
Neste longo artigo, expliquei que além da pesquisa para desenvolver fontes limpas de energia, também é muito importante pesquisar, desenvolver e tornar públicas as técnicas e práticas que podem melhorar a energia do corpo humano. Gente mais energética precisaria e gastaria menos energia "externa"

015 Os novos camponeses - e os muitos caminhos da vida alternativa
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 19 Ago. 1979
Esta longa e profunda matéria focou nas atividades de várias pessoas que iniciavam projetos ligados à agricultura e à alimentação, hoje preocupações crescentes no mundo à medida que a humanidade se urbaniza em meio a riscos climáticos, ambientais, sociais etc. A proposta e o trabalho da Coonatura são descritos. O artigo ocupou três páginas do Caderno B do Jornal do Brasil, que ainda tinha o tamanho na época. Hoje os jornais reduziram o formato e são quase o que chamávamos "tabloide". Os textos agora são mínimos, em meio a fotos e anúncios imensos, e muito espaço em branco.

016
A saída ecológica
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 28 Nov. 1979
Esta longa matéria (página inteira) trouxe sete entrevistas, todas de membros de nossaooperativa - Coonatura. Lá nós explicávamos porque we nós estávamos trabalhando juntos, porque estávamos preocupados com a agricultura, nutrição e saúde, e porque pensamos que a natureza pode ajudar e curar nossa sociedade.

017
RELINCHOS E EGOTRIPS A Cr$30 POR CABEÇA
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - ? Nov. 1979
Por conta da atenção despertada pela Coonatura, fui convidado a participar de importante debate sobre democracia e cultura, no teatro Casa Grande. Neste artigo, mostrei como famosos intelectuais e artistas brasileiros ficaram perdidos com o fim da ditadura e incapazes de perceber que a vanguarda cultural agora preocupa-se em pesquisar as alternativas que poderão viabilizar o futuro da população

018
Jornada ecológica protesta contra usinas nucleares
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 14 Jan. 1980
No final da década de 70, o presidente Geisel firmou um acordo com o governo alemão para construir 7 usinas atômicas no Brasil. Apesar de alguma reação acadêmica contra esta decisão perigosa e caríssima, tomada sem nenhuma discussão com os cientistas, a população só ficou informada sobre os riscos quando amigos da Coonatura e eu organizamos esta "jornada".

019
Ciclistas vão a Angra para manifestação ecológica
O Globo (Rio de Janeiro) - 18 Jan. 1980
Nossa jornada foi um modo muito simples mas efetivo para comunicar o que queríamos demonstrar: as pessoas em geral precisam de muita energia porque, no geral, estão desenergizadas, inconscientes de toda a força que está disponível na alimentação saudável e nas práticas corporais. Planejamos pedalar até Angra (160 km), local da primeira usina nuclear brasileira (tecnologia Westinghouse) e onde planejavam construir mais duas com tecnologia alemã.

020
Protesto contra usinas atômicas
Última Hora (Rio de Janeiro) - 18 Jan. 1980
Na manhã da sexta-feira em que deixamos o Rio, para Angra, havia muitos jornalistas cobrindo nossa partida. Todos os jornais e muitas estações de rádio e TV queriam saber nossas razões. A Última Hora, que era então um jornal mais popular que o Jornal do Brasil ou O Globo, publicou chamada na primeira página (com uma foto) e uma longa matéria com duas fotos numa página interna.

021
Ciclistas foram a Angra defender meio ambiente
O Dia (Rio de Janeiro) - Jan. 18, 1980
O Dia era o primeiro jornal do Rio em vendas, mas seus leitores eram considerados os mais "populares" de todos. A longa matéria que eles publicaram - com uma foto de nosso grupo de 16 ciclistas - foi muito esclarecedora para seus leitores.

022
Ciclistas lideram em Angra manifestação contra usina
O Globo (Rio de Janeiro) - Jan. 20, 1980
Novamente O Globo, muito importante, noticiou nossa jornada, agora a nossa chegada a Angra, onde a população nos recebeu com uma festa-show, cuja foto foi publicada com o artigo. Tudo isso era muito novo, porque o projeto atômico brasileiro era considerado assunto de segurança máxima pela ditadura militar, e nós estávamos, pela primeira vez, desafiando este tabu.

023
Ciclistas foram a Angra criticar usina nuclear
O Fluminense (Rio de Janeiro) - Jan. 21, 1980
Esse jornal era muito lido na região de Angra e em outras cidades ao redor do Rio. O artigo informou toda essa população sobre os riscos que passariam a viver para sempre. Até então, as pessoas vivendo em Angra nunca tinham sido informadas sobre os riscos de ter uma usina atômica na vizinhança, sem ter enhuma informação de segurança, rotas de fuga de emergência etc.

024
CICLISTAS PROTESTAM CONTRA USINA NUCLEAR
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - Jan. 28, 1980
Escrevi este longo artigo para relatar como a jornada foi cumprida por nosso grupo (acompanhado o tempo todo por uma fila de veículos dos muitos departamentos de polícia federal e estadual, serviço secreto, Nuclebrás etc.). Expliquei que nós éramos (e ainda somos) vegetarianos, praticantes de yoga e/ou tai chi chuan, e portanto foi fácil para nós viajar todos esses quilômetros em dois dias.

025
Em Resende, um show a favor da vida e contra a energia nuclear
O Globo (Rio de Janeiro) - Abr. 4, 1980
O acordo nuclear Brasil-Alemanha planejava construir uma fábrica nuclear em Resende, uma cidade média à margem do rio Paraiba do Sul, entre o Rio e São Paulo. Qualquer acidente nesta fábrica traria enormes riscos para essas cidades, as mais populosas do Brasil. Assim decidimos organizar essa manifestação para alertar as populações.

026
Jovens buscam a pureza ecológica
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - Abr. 12, 1980
Novamente um grande artigo sobre o mau uso da energia nuclear no Brasil, e os riscos que poderia trazer para nossa existência já tão arriscada. Vocês pensam que a agência atômica brasileira monitoraria devidamente a operação segura dessas instalações? E o problema do lixo atômico? Este artigo teve uma ilustração desenhada por mim, explicando o problema de uma maneira visual.

027
Protesto contra poluição causa tumulto no trânsito
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - ?. ?, 1980
Mais um artigo publicado por um importante jornal relatando uma outra iniciativa nossa para tornar as pessoas mais conscientes sobre os problemas ambientais. Desta vez, denunciando a poluição nas principais ruas do Rio - um recorde mundial. O jornal dizia que causamos um tumulto, mas o trânsito é que é o tumulto.

028
A febre dos fortificantes naturais
O Globo (Rio de Janeiro) - 25 Mai. 1980
Outro artigo demonstrando que nossa interferência estava sendo bem sucedida. Esta foi sobre o número crescente de pessoas que preferem modos naturais de se sentirem melhor e ficarem mais saudáveis. Nele eu também contei sobre nosso comércio de alimentos naturais.

029
Alimentação Natural - sem químicas
O Globo (Rio de Janeiro) - Out. 1980
Novamente outro artigo demonstrando o mesmo: um número crescente de pessoas seguindo a tendência natural. Será que tivemos alguma influência? Neste tempo, eu estava introduzindo a "venda de sanduíches naturais" nas praias do Rio.

030
É FÁCIL PLANTAR EM CASA
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - ? Out. 1980
Neste explicativo artigo, descrevi como é possível cultivar hortaliças em casa, principalmente cheiro-verde e temperos.

031
Sugestão - uma horta em cada casa, fábrica, penitenciária e quartel
O Globo (Rio de Janeiro) - 2 Jan. 1981
Este artigo foi sobre um cartaz educacional que desenhei para o Mobral, uma agência federal (então) dedicada ao desenvolvimento comunitário. Eles imprimiram 10 mil cartazes e os espalharam pelo Brasil, dando início a centenas de hortas.

032
Comida  natural na praia é a nova sensação
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 3 Jan. 1981
Neste artigo, vender sanduiche natural  na praia foi considerado um fenômeno cultural, no verão de 1981. De fato, depois de nossa iniciativa pioneira, milhares de outras pessoas começaram a fazer o mesmo.

033
Entender o verão? comida natural
Revista Domingo Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 15 Jan. 1981
Neste artigo, vender sanduíche natural na praia foi considerado um fenômeno cultural no verão de 81. Realmente, depois de nossa iniciativa pioneira, milhares de outras pessoas começaram a fazer o mesmo.

034
Alimentação natural - opção chega à praia
O Globo (Rio de Janeiro) - 15 Fev. 1981
Este longo artigo foi especificamente sobre meu principal projeto na época: fazer a comida saudável mais popular, vendendo sanduíches naturais nas praias do Rio. como Ipanema e Copacabana - e repercutindo através da mídia.

035
Opção: vender sanduíche natural...
O Globo (Rio de Janeiro) - 21 Fev. 1981
Novamente o principal jornal do Rio dedica um grande espaço para divulgar minha iniciativa promovendo amplamente a consciência de que as pessoas poderiam comer melhor e mais barato, e ainda ficar mais saudáveis. E muitas poderiam ganhar a vida com isso.


Joaquim Moura - Coonatura
Panfletos da Nova Era - livro de Jorge Mautner - Fev. 1981
Neste livro, Mautner escreve longos capítulos sobre figuras marcantes da cultura brasileira e mundial. Assim, entre textos sobre Glauber, Gil, Janio, Brizola, Golbery, Caetano, Wilson Batista, Ray Charles e outros príncipes, um curto capítulo sobre o pioneirismo de iniciativas minhas, como a Coonatura e a Pureza.

036
Pureza quer licença para vender comida
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 28 Fev. 1981
Embora a iniciativa de vender alimentos saudáveis para a população, trazendo pão de trigo integral e arroz integral para as praias e ruas, fosse muito importante para a população, nós não conseguimos licença para vender legalmente.

037
CONCLAVE DO SOL FAZ A FESTA ALTERNATIVA NO ATERRO
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 21 Mai. 1981
Para alertar novamente a população sobre os perigos da poluição atômica, organizamos o Conclave do Sol, reunindo artistas e cientistas. Joan Baez estava então no Rio e quis participar. Mas o governo percebeu que ela atrairia muita atenção para nossa festa, e não permitiu sua participação. Mas isso trouxe ainda mais atenção para nossa iniciativa. Eu escrevi este artigo para contar toda a história.

038
A comida natural chega à mesa
Isto É magazine - (Rio de Janeiro) - 18 Jul. 1981
Este artigo mereceu ser a capa desta importante revista semanal, e isso, acontecendo em uma publicação (então) de esquerda, foi um verdadeiro feito, mostrando que todos, mesmo os "marxistas", tinham sido atingidos pela idéia da "comida natural".

039
A Pureza acabou
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 15 Nov. 1981
Depoiis de dois anos de bem sucedidos esforços, sendo imitado por milhares de pessoas por todo o país - e sem nenhum apoio do governo - nosso grupo decidiu dedicar nossa criatividade e energia a outras questões.

040
 Trabalhar é preciso, mas se empregar...
Luta e Prazer (Rio de Janeiro) - Nov. 1981
Luta e Prazer era um jornal publicado por e dirigido a estudantes universitários, principalmente aqueles envolvidos no estudo de psicologia, sociologia e artes, mas também interessados em política. Eles apreciaram muito a nossa venda de comida saudável ao público.

041
Gasto mínimo na praia chega a Cr$500
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 2 Jan, 1982
Este artigo relatou o crescente comércio de diversos produtos na praia, com especial atenção para a venda de sanduíche natural, mencionando que a Pureza foi o primeiro (e o melhor) grupo a introduzir, nas praias e também nas ruas, esta opção mais saudável de alimentação

042
Hortaliças no quintal
Tribuna do Norte (R.Grande do Norte) - Fev. 1982
Publicado por um jornal de um pequeno e distante estado brasileiro, este artigo descreveu meus esforços e resultados em direção à educação sócio-ambiental. Relatou as iniciativas da Coonatura e da Pureza.

043
A hora e a vez dos candidatos naturais
Isto É (Rio de Janeiro) - Fev. 1982
Este artigo, publicado em uma importante revista semanal, promoveu minha anti-candidatura a prefeito do Rio. Foi uma oportunidade para expor minhas preocupações com o futuro da cidade e de sua população.

044
O natural rima muito bem com sol e sal
O Globo - Ipanema (Rio de Janeiro) - 6 Set. 1982
Outra grande matéria sobre as pessoas vivendo da venda de sanduiche natural. O artigo relembrou que fui eu quem introduziu este trabalho nas praias e informou que, na época, eu já estava mais dedicado (novamente) a projetos de hortas comunitárias.

045
Viva o Verde nas Escolas - Projeto é para proteger a Ecologia
O Globo - Madureira (Rio de Janeiro) - 17 Set. 1982
Nesta época, sugeri um projeto de educação ambiental para os estudantes das escolas públicas do Rio. Foram escolhidas 13 escolas, onde foram feitas apresentações, cultivadas hortas naturais e promovidos passeios com as crianças ao Jardim Botânico do Rio, tudo sob minha orientação.

046
Lanchinhos na praia para salvar o mundo
O Pasquim (Rio de Janeiro) - Nov. 1982
Nesta longa entrevista, tive uma perfeita oportunidade para explicar em detalhes porque estava tentando tornar as pessoas mais conscientes sobre a importância da agricultura e nutrição para seu futuro e o futuro de seus descendentes. Também esclareci as radicais implicações políticas da consciência naturalista.

047
PRESÍDIO - PROGRAMA CULTURAL PARA DIMINUIR TENSÃO PERMANENTE
Correio Braziliense (Brasília) - 22 Jul. 1983
Aqui eu escrevi um artigo explicando como as penitenciárias poderiam ser transformadas em algum tipo de universidade popular, preparando muitas pessoas para serem líderes comunitários quando voltassem para suas localidades. Enquanto presos, eles tëm muito tempo para aprender muitos talentos, práticas e conceitos úteis.

048
AGRICULTURA QUÍMICA AMEAÇA NOSSO FUTURO
Correio Braziliense (Brasília) - Ago. 1983
Neste grande artigo, publicado em um importante jornal, tive oportunidade para explicar (quase) todas as preocupações que os ecologistas e naturalistas têm relacionadas com a agricultura convencional, baseada em produtos químicos fornecidos pela indústria.

049
Comício Cósmico cria horta no CONIC
Correio Braziliense (Brasilia) - 23 Out. 1983
Convidado a participar de um "Comício Cósmico" em Brasília, deixei mais do que apenas palavras. Com a ajuda de outros participantes, criamos uma horta em um jardim abandonado de um shopping center no centro de Brasília.

050
ECOLOGIA E DEMOCRACIA
Correio Braziliense (Brasília) - 25 Nov. 1983
Um artigo que escrevi apenas para explicar - através do principal jornal da capital brasileira - que se nós (a sociedade) tivéssemos a ecologia (e não o dinheiro) como nosso principal conselheiro, seria muito mais fácil encontrar soluções práticas para a situação trágica vivida por mais da metade da população mundial.

051
Zona Sul intensifica procura de hortaliças sem agrotóxicos
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 24 Mai. 1984
Um outro grande artigo publicado sobre a Coonatura, e seus 2.000 membros (muitos deles produtores) que se beneficiam de sua própria organização, através da cooperativa.

052
O desenhista que se dedicou à natureza
O Globo (Rio de Janeiro) - 18 Set. 1984
Neste artigo, além de reportar as linhas gerais de meu projeto com as crianças, o jornal relatou um desafio que estávamos promovendo com as crianças: o primeiro concurso de alfaces cultivadas em apartamento. (Uma família japonesa ganhou.)

053
Todo dia devia ser Dia da Árvore
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 21 Set. 1984
Então eu fui contratado por uma grande empresa construtora (João Fortes Engenharia) para desenvolver atividades ambientais com as crianças dos prédios que eles constróem por toda a cidade. Este artigo conta sobre os canteiros, as árvores e as mudanças que cultivamos.

054
Crianças comem o que plantaram...
O Globo - Niterói (Rio de Janeiro) - Set. 1984
Esta matéria relatou a reação das crianças urbanas com relação às rotinas agrícolas e fatos naturais com que tiveram contato em seus edifícios. As fotos mostravam como sua colaboração era efetiva e feliz.

055
Cultivar alfaces - desafio às crianças
O Globo - Tijuca (Rio de Janeiro) - 2 Out. 1984
Outro artigo sobre o concurso de alfaces cultivadas em apartamento. Eu era o consultor-supervisor, e durante dois meses visitei dezenas de apartamentos para monitorar o processo de crescimento das alfaces, desde sementes plantas adultas.

056
Em Queimados, reforma agrária especial
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 2 Dez. 1984
Nesta época fui convidado por uma importante ONG (F.A.S.E.) para ajudar um grupo de camponeses sem-terra recentemente assentados na periferia rural do Rio (Queimados) - uma chance para ajudá-los a aumentar suas atividades produtivas e comunitárias, bem como preservando o meio-ambiente.

057
O EQUILÍBRIO NECESSÁRIO
Jornal de Brasília (Brasília) - 31 Mar. 1985
Neste artigo realmente longo (página inteira), descrevi um sonho: subitamente eu era despertado por representantes dos reinos mineral, vegetal e animal para assistir a uma importante reunião deles, discutir suas reais condições e fazer algumas recomendações para a humanidade. As futuras gerações também mandaram alguns participantes, apenas como observadores.

058
A NATUREZA TAMBÉM É CULTURA
Jornal de Brasília (Brasília) - 14 Abr. 1985
Muitas pessoas costumam considerar natureza e cultura como excludentes. O reino de uma é o oposto do reino da outra. Mas esta visão esquisofrênica leva apenas a incompreensão e destruição. O modo como vemos a natureza é cultural - e não existe natureza fora desta visão cultural (não para nós, humanos). E, para viabilizar nosso futuro, precisaremos de uma nova cultura que veja a natureza de outro modo

059
NOVA REFORMA AGRÁRIA - ECOLOGIA NA PRÁTICA
O Pasquim (Rio de Janeiro) - 5 Mai. 1985
Neste texto, expliquei porque a reforma agrária é a questão mais importante a ser resolvida para tornar o Brasil viável. E a razão porque o meio-ambiente deveria ser nosso mestre e parceiro se queremos viver um futuro mais feliz.

060
ECOLOGIA NA PRÁTICA DA REFORMA AGRÁRIA
Correiro Braziliense (Brasília) - 13 Mai. 1985
Novamente, para outra clientela (O Pasquim era um famoso tablóide dirigido por e para jovens esquerdistas). Expliquei como a Reforma Agrária poderia prover trabalho para todos os desempregados brasileiros, produzindo comida e madeira para o mundo.

061
Dna. Benta ajuda a colher alface no Novo Leblon
O Globo - Barra (Rio de Janeiro) - 16 Mai. 1985
Um novo projeto: fui convidado por um rico condomínio no Rio (eles me pagavam uma quantia simbólica) para planejar e implementar aqui a primeira "fazenda urbana para crianças" de que tenho notícia. Esse artigo descreve a primeira colheita.

062
A FALTA QUE FAZ UM PROGRAMA DE PRIORIDADES ALTERNATIVAS
Correio Braziliense - (Brasília) - 27 Mai. 1985
O presidente Sarney anunciou um programa de prioridades sociais, tão convencionais que não poderiam mesmo trazer nada de novo para a população. Portanto, escrevi esse artigo para explicar como cada prioridade (habitação, nutrição, saúde, emprego e energia) poderia ser realmente atingida se o governo usasse uma abordagem alternativa.

063
A descoberta da terra ensina a plantar
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 22 Jul. 1985
Este outro artigo no JB descrevia duas experiências - a escola agrícola Wenceslau Belo e a "fazenda para crianças" do Novo Leblon, que eu havia criado.

064
FORÇA AO PRESIDENTE SARNEY
Correio Braziliense - (Brasília) - 29 Jul. 1985
O presidente Sarney estava tomando remédios para reduzir suas dores nas costas. Portanto, escrevi este artigo sugerindo que o presidente cure suas tensões e dores através de práticas curativas alternativas. Ilustrei com desenhos de posturas curativas fáceis que o presidente ou qualquer leitor poderia executar e se beneficiar delas.

065
No Novo Leblon, é hora de colher os frutos
Horta, idéia que pegou também no novo Leblon
O Globo - Barra (Rio de Janeiro) - 29 Ago. 1985
Mais um artigo confirmando o interesse da mídia sobre nosso projeto. Mas eu nunca fui contatado por ninguém do governo (qualquer governo) ou da "iniciativa privada" ou de ONGs, para replicá-lo em escala maior.

066
Hortas e pomares ganham novos espaços em prédios
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 20 Nov. 1985
Um outro longo artigo, em um importante jornal do Rio, trazendo uma bonita foto dos canteiros da "fazenda para crianças" do Novo Leblon.

067
Horta comunitária faz sucesso no Novo Leblon
O Globo - Barra (Rio de Janeiro) - 18 Dez. 1986
Dezoito meses depois do início, ainda éramos notícia, ocupando grandes espaços nos jornais. Esta matéria, na seção especial para a Barra do principal jornal do Rio, apresentava quatro fotos (uma delas na primeira página).

068
Condomínio inaugura mini-fazenda
Jornal do Brasil (Rio de Janeiro) - 19 Dez. 1986
Nesta época, aumentamos o tamanho e complexidade de nossa fazenda comunitária, introduzindo novos animais, alguns cavalos, cabras, galinhas, patos e vacas, para torná-los familiares às crianças urbanas e fornecer estrume para a horta.

069
Profeta verde
O Globo (Rio de Janeiro) - Out. 1987
Mais uma vez, um longo artigo em um importante jornal relatando todas as iniciativas que desenvolvi até então. Na foto que ilustrou o artigo, eu executava uma postura de Tai chi, outra ferramenta para promover a saúde da população.


070
A pureza das frutas e legumes no Novo Leblon
O Globo (Rio de Janeiro) - 22 Nov. 1987
Trinta meses após o início, a fazenda comunitária ainda era divulgada em longos artigos nos principais jornais (e na TV). Mas eu nunca fui procurado por alguém interessado em aperfeiçoar e replicar a experiência.

071
Antes do trabalho, o exercício
Jornal de Brasília (Brasília) - 9 Set. 1990
Uma grande matéria (foto na primeira página, página inteira no interior do jornal) sobre minha primeira iniciativa quando mudei para Brasília. Aulas de tai chi chuan grátis, nos jardins externos do Banco Central (onde eu trabalho), abertas ao público. Foi um sucesso.

072
Academia a céu aberto
Veja - Magazine (São Paulo) - 10 Out. 1990
Na principal revista semanal brasileira, uma matéria sobre as aulas grátis de tai chi. Na foto, e e meus discípulos mostrávamos como os leitores poderiam aperfeiçoar sua saúde, potencializar seus corpos, relaxar suas tensões e estimular sua energia.

073
Bosque agora é espaço cultural
Correio Braziliense (Brasília) - 30 Jul. 1991
Agora era o principal jornal de Brasília que relatava as aulas de tai chi que eu dava de graça para a população. Uma foto na primeira página e outra dentro, com o texto explicatório.

074
Um bom casamento entre a ecologia e a alimentação
Correio Braziliense (Brasília) - 9 Dez. 1991
Neste artigo, o principal jornal da capital brasileira conta minha história e os novos projetos que desenvolvo agora mais perto do governo federal, procurando inspirá-lo em suas ações e compreensão da delicada relação sociedade-natureza.

075
A LEI ROUANET E A SUPERVIVÊNCIA POPULAR
Correio Braziliense (Brasília) - 6 Jan. 1992
A lei Rouanet foi criada para permitir deduções nos impostos para financiar a cultura; uma porcentagem deles pode ser aplicado em produções culturais. Mas o governo apenas considerou como projetos culturais aqueles envolvendo teatro, show, cinema, dança etc., mas não projetos dedicados a despertar e potencializar a população.

076
MASSA CRÍTICA DE SOLIDARIEDADE COMUM
Jornal de Brasília (Brasília) - 17 Nov. 1992
Em outubro de 92, fui aos Estados Unidos conhecer o sistema 4-H de desenvolvimento juvenil. Articulado em nível federal, estadual e municipal, envolvendo universidades e apoio privado, o 4-H reúne 5,5 milhões de jovens de 8 a 18 anos em milhares de clubes pelo país. Só de adultos voluntários são 600 mil, apoiando projetos ambientais, científicos, de lazer, de promoção da cidadania etc. Todas as manhãs cedo, eu praticava tai-chi com os educadores americanos interesados.
Ao voltar, relatei o que lá vira.

077
A CURA NATURAL DA CALVÍCIE
Jornal de Brasília (Brasília) - Jan. 1993
Por meio de uma nutrição mais saudável e exercícios adequados, todo o corpo ganha mais vida e energia, incluindo as células do cabelo, dentro do couro cabeludo. Nível adequado de vitaminas e minerais no sangue, e pele e músculos da cabeça relaxados (para deixar o sangue alcançar os bulbos capilares) são alguns segredos revelados em detalhe neste artigo.

078
Comitê quer democratizar informática
Correio Braziliense (Brasília) - 14 Mai. 1996
Em algumas cidades brasileiras, existem Comitês para a Democratização da Informática que organizam escolas comunitárias para profissionalização em computador. Em Brasília, também nós estamos trabalhando para trazer os computadores para mais perto do povo, mas não estamos apenas ensinando pessoas a trabalhar profissionalmente, mas também mostrando a eles como podem se organizar em rede para desenvolver suas vidas e comunidades.


JOVENS VOLUNTÁRIOS: SEM ELES, NADA FEITO
revista Directions - Fellowship in International Development (Washington DC) - Ago. 1996
Neste artigo, discuto as razões porque quanto mais trágico fica o cenário social, mais os brasileiros evitam colaborar em programas voluntários, devido ao estresse crescente, ao processo de empobrecimento etc. Também discuto como promover uma mudança nesta situação, estimulando as pessoas a se organizarem e mudarem as suas/nossas vidas.

079
Fábrica de dinheiro
Correio Braziliense - 28 Out. 1996
Matéria (página inteira de domingo) sobre "dinheiro local" ou "dinheiro comunitário" - poderoso instrumento de dinamização social e combate à pobreza - sugerida por mim, citado como "especialista pesquisador" do assunto. Pena que achei o título muito sensacionalista.

080
MICROCRÉDITO E O COMBATE À POBREZA
Correio Braziliense - 3 Mar. 1997
Matéria sobre a Cúpula de Microcrédito realizada em Washington, em fevereiro. Expliquei muitas coisas que ninguém conhece direito, aqui no Brasil, sobre microfinanças e combate à pobreza.

081
Educação Ética nas Escolas
Correio Braziliense - 28 Nov. 1997
Nosso comitê Brasilia/Washington DC dos Companheiros das Américas promoveu seminário demonstrativo do programa Character Counts!", implementado nos EUA desde 1994, onde já alcança mais de 20 milhões de jovens. O seminário fez grande sucesso com os educadores participantes e já apresenta ótimas possibilidades de ser aplicado no Brasil. Este artigo (página inteira) foi muito útil

082
SEMENTES DA VIOLÊNCIA
Correio Braziliense - 26 Fev. 1998
O aumento dos crimes cometidos por jovens est:á a exigir an´lise mais profunda que leve a ações efetivas. Neste artigo, pela primeira vez várias questões fundamentais para compreender a violência infanto-juvenil foram discutidas em jornal brasileiro.

083
Violência começa com ociosidade
Correio Braziliense - 29 Mar. 1998

Na discussão sobre a violência atual, sempre tão superficial, finalmente me deram um espaço, no principal jornal de Brasília, para aprofundar a análise e propor programas objetivos. Mas nem assim obtive qualquer reação, nem de quem supostamente cuida desses problemas.

084
Alunos de Bom Caráter
Correio Braziliense - 17 Dez. 1999
Mais uma página inteira sobre um programa desenvolvido por nosso comitê dos Companheiros das Américas em Brasília. Desta vez, sobre a introdução, no Brasil, do programa de educação ética norte-americano Character Counts!

085
Caráter se aprende na escola
Correio Braziliense - 21.Abr. 2000
Nosso comitê organizou este Seminário Internacional de Educação Ética para demonstrar a metodologia do programa O Caráter Conta!, traduzida e adaptada para o Brasil. Oitenta professores participaram e agora estamos adaptando o currículo de acordo com as sugestões desses professores. Agora, juntos, iremos promover o programa nas escolas de Brasília e, depois, do Brasil.

086
Brasil vai investir pesado em transgênicos
Estado de São Paulo - 27 JUL. 2001
Neste artigo, cujo título mais parece uma ameaça ou uma declaração de insanidade proclamada pelo ministro da Agricultura, fui pela primeira vez citado em uma matéria sobre o tema transgênicos, que já vem me ocupando, quase prioritariamente, há dois anos, desde que me dei conta da proximidade e alcance do problema.

087
Preparando a juventude para um futuro desafiador
Urban Agriculture Magazine - OUT. 2018
 Uma breve descrição do projeto em andamento atualmente envolvendo a compostagem escolar e comunitária e o desenvolvimento juvenil.
Também em inglês: Preparing youth for a challenging future